sexta-feira, 25 de junho de 2004

Eu morro todo dia, na mesma hora e no mesmo lugar

Na Consolação

Eu quase morro

Mas na Cardeal

Eu me enterro



Não sei se é o calor

Se o cheiro

Se o odor

Mas quando o ônibus

Começa a encher

Sinto no vidro

A cabeça bater

São horas e horas

Diariamente

Nesse enlatado

Lotado de gente

Nenhum comentário: