sexta-feira, 25 de junho de 2004

O olhar

Primeiro a bunda

Depois os seios

E a genitália

Com muito jeito

Como um sujeito

Observador

Não vou negar

Ser espectador



E elas passam

Sempre sorrindo

Estão falando:

"Está me seguindo"

Como todo velho

Que não é menino

Do calçadão

Volto sorrindo



Lembrando os tempos áureos

Dos relicários

Dos penduricalhos

Da moça viçosa

Que toda prosa

Passa vistosa

Mas não olha, não



Severo é o tempo

E isso não é um lamento

É apenas uma constatação

Nenhum comentário: