sexta-feira, 25 de junho de 2004

Quedas-de-braço

Um dia

Quando estiverem de luto

Mas alguém gritar: "Seu puto,

vê se vai e não volta!"

Sentirei saudades desa vida

De imperfeições

E incoerências

De vivências

E paixões



Como se vê

Ser unânime nunca foi o meu forte

Mas reconheço que tive sorte

De ter vivido até a morte



Limpei minhas merdas

Paguei as brigas que comprei

Não deixo dívidas

Mas deixo saudades

Das brigas

Dos casos

Das quedas-de-braço

Nenhum comentário: