sexta-feira, 11 de março de 2005

Dave Gibbons

Este é um texto que capturei da internet - não lembro de onde exatamente – que, pelo texto, foi escrito antes de 2003. Nele, Dave Gibbons fala o que todo mundo quer ouvir: como se dá o seu processo de trabalho. Está sem crédito, mas, caso alguém saiba de quem é o texto, por favor me informe para que eu possa por os créditos.


"O artista britânico Dave Gibbons, desenhista e roteirista de histórias em quadrinhos famosas, como Superman e Batman, revelou hoje, quinta-feira, os segredos do processo de criação de suas obras.

O artista britânico, que participou de um curso universitário de verão sobre história em quadrinhos, explicou os métodos e as técnicas às quais recorre para criar uma obra, que definiu como "uma história contada com palavras e imagens, embora devesse ser ao contrário já que é melhor mostrar do que contar".

Gibbons aconselhou os presentes a se adaptarem a um método de criação que vai do geral ao específico, com palavras que avancem na narrativa da história, mas que não redundem o que as imagens contam.

"O primeiro passo é escrever um resumo do argumento de nossa história em quadrinhos", recomendou o desenhista, revelando que as melhores histórias são as curtas e as piores aquelas nas quais não pensou em ter de desenhá-las.

Assim, foi destrinchando, passo a passo, o processo de confecção do roteiro, "em parágrafos curtos" -afirmou- e "dividido de acordo com as páginas que a história terá".

Gibbons recomendou uma de suas técnicas como roteirista, que consiste em escrever em cartões tantas frases quanto vinhetas houver na página, que expliquem o que vai acontecer para se ter uma idéia geral.

Depois, o desenho dos personagens, no qual se prende minuciosamente, já que "não pode haver dois personagens iguais fisicamente na história e que pareçam que não envelhecem se assim pede o argumento".

Para Gibbons, o desenho deve constar de quatro fases, que mostrou aos presentes: a forma dos personagens em traços gerais; um modelado, muito mais preciso a lápis; à tinta e, por último, colorido.

"Um dos segredos na aplicação da tinta é a prática", afirmou Gibbons, que não despreza o computador como ferramenta de trabalho e criação, em parte, confessou, porque "desde pequeno meu brinquedo favorito era um jogo de encaixe".

O britânico explicou que as novas tecnologias e softwares de desenho permitiram reproduzir sua própria letra, as mesmas que preenchem os balões de texto de suas histórias em quadrinhos.

Agora, Gibbons prefere mais escrever a desenhar, embora se divirta mais, garantiu, rabiscando seus próprios desenhos "porque, ao escrever como são esses personagens, já os tenho na cabeça".

Entre seus projetos, anunciou uma novela gráfica chamada "The originals", que será editada em 2003, e aproveitou para mostrar ao público uma página do roteiro."