quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Da Morte Nasceu o Herói

Um jovem, que teve a família destruída tragicamente em um assalto, responde à sua dor criando um símbolo de justiça e força. Um herói. Um ser capaz de trazer esperança e fé a um mundo tomado pelo crime e pela injustiça. Não, não é de Bruce Wayne que eu estou falando, mas de Jerry Siegel, um dos pais do Homem de Aço.

Por volta das 20h de 2 de junho de 1932, um assalto à loja de roupas usadas de Mitchell Siegel, um imigrante judeu vindo da Lituânia, provocou o ataque cardíaco que o matou. Ninguém foi preso.

O incidente aconteceu em Cleveland, Ohio, e Jerry, então com 17 anos, junto com seu amigo Joe Shuster, teria por isso criado Superman, o super-herói mais conhecido do mundo. Um ser à prova de balas e com força sobre-humana, único sobrevivente de Kripton, seu planeta natal.

É o que nos quer fazer acreditar Brad Meltzer em seu livro The Book of Lies, com lançamento previsto para a semana que vem nos EUA.

Evidências não faltam, a começar por uma carta, enviada por um certo A.L. Luther a um jornal local, expõe a necessidade de vigilância naqueles dias duros da depressão americana. Para Meltzer não resta dúvida de que foi daí que surgiu o nome do principal inimigo de Superman: Alexander "Lex" Luthor.

"Em 50 anos de entrevistas, Jerry Siegel nunca mencionou que seu pai tinha morrido em um assalto. Mas pense, seu pai morre em um assalto e você inventa um homem à prova de balas e que se torna o maior herói do mundo. Desculpa, mas aí tem coisa", diz Meltzer.

Nenhum comentário: