sexta-feira, 26 de novembro de 2010

O sal e o açúcar

Na prisão, um garoto, que tem aulas de culinária, entre outros cursos, aprende a fazer bolo de chocolate — o tal bolo deve ser consumido no aniversário da unidade prisional, já no dia seguinte.

Enquanto assa o seu bolo, ele lembra da mãe, ainda em Pernambuco, quando ela o ensinava a cozinhar. Ele chora o choro do remorso e da saudade. Chora copiosamente. Chora ao ver o rumo que sua vida tomou, desde que a família deixou o Recife para tentar a sorte em São Paulo, meses antes. Chora por não saber se sua mãe estará lá para comer desse bolo.

O bolo, neste momento, ganha o tom exato entre o doce e o salgado. Uma receita que poderia ter sido caseira.